13 agosto, 2010

O verbo é... decidir.

Depois de um tempo sem postar nada, finalmente decidi despertar do meu tempo de "desinspiração"...

Esta semana fiz uma nova canção, motivada por um tempo de sambista que tenho vivido. Pois é. Tenho ouvido muito samba e MPB. Principalmente Roberta Sá, Orquestra Lunar e As Chicas.

Não é que eu tenha feito um samba. Isso eu acho difícil de acontecer, até porque tem que ser muito fera pra compôr um samba que seja realmente bom. Mas, pensando bem, a intenção não foi compôr um samba, mas esta nova canção pode se tornar um e ficar interessante...


Ok. Mas não é sobre esse assunto que quero discorrer neste post. Só aproveitei para compartilhar (fico sempre muito feliz quando faço uma música, ainda mais quando sai uma coisa boa desta mente não tão favorecida)
.

Quero falar sobre decisão.


De acordo com o Dicionário Priberium da Língua Portuguesa (on-line), a palavra decisão possui as seguintes definições:
1. Ato ou efeito de decidir; 2. Resolução tomada após discussão ou exame prévio. = DELIBERAÇÃO, JUÍZO, SENTENÇA; 3. Capacidade para decidir ou resolver algo. = CORAGEM, INTREPIDEZ; 4. Teol. Prescrição sobre matéria de fé ou de dogma.

Como destaque, eu escolho o item 3, que associa decisão a coragem e intrepidez.
Ser capaz de decidir algo é ser corajoso e intrépido.

É terrível quando chega o tempo em que você tem que tomar suas próprias decisões, sem que elas afetem negativamente outras pessoas, principalmente quando se trata de outras pessoas que você ama, e que não deseja magoar ou decepcionar.

Mas este tempo chega. Chegou para mim.


Só que mais terrível ainda é quando você vê que muitas pessoas pensam que você não sabe tomar suas próprias decisões. Quando tentam enxergar além do que você enxerga, mas na verdade só vêem aquilo que pensam que enxergam.


Confuso?!


Eu estava tranquila, certa de que tomaria a decisão certa. Mas assim como o parágrafo acima tornou uma coisa tão simples em uma confusão só, minha mente passou a duvidar das decisões "corretas" que eu tomaria.


Mais confuso ainda?!


Resumindo: se é preciso ser corajosa e intrépida para decidir algo, não sou capaz.


Por hora.
----------------------- X -----------------------

O Dono da História

Se olhares pra trás
Minha mão te mostrará
Que nada foi em vão

Se pensares em mim
Como alguém que confiou
Um sonho em tuas mãos

Verás
Que tudo o que eu fiz foi pra realizar
Meus planos em tua vida
Verás
Que sou eu que escrevo tua história
E descansarás em mim

Sim, eu sei
Eu que sei os pensamentos
Que tenho sobre ti
Sim, eu sei
Te darei o melhor que há
Deves confiar
Que sou o dono da história
E descansar em mim

3 comentários:

Denise Malafaia Cerqueira disse...

Sabe, Ester, lendo este post,o que já fiz várias vezes...só não comentei,como sempre, costumo fazer...Fiquei me lembrando de Paulo,nosso amigo mais chegado queum irmão, o apóstolo.Ele dizcoisas interessantes a respeito de decidir,são tantos os "posts" dele, que não dá para registrar tudo aqui,vai ficar mt longo. Mas resumindo ele diz várias vezes que "ele tomou a decisão de..." Ele explica o porquê do..."ele decidiu", porque ele tinha "a mente de Cristo" porque se Cristo habitava nele, as decisões que ele viesse a tomar tinham "em Jesus o sim e o amém." Lindo e tremendo,né? Leia depois as cartas dele aos Corintios, e você vai entender melhor...
Bjs,filhota!

Priscila Leite disse...

Deus só é com os decididos ele não suporta a dúvida e o medo. Diz a Gideão quem for tímido e medroso que volte, ou seja só que for decidido pode fazer parte desse exército. Forte essa mensagem!
Gostaria que fosse minha amiga também em meu blog:
http://meublogpessoalpriscilaleite.blogspot.com
Será um prazer receber a sua visita.

Nando Jesus disse...

Parabéns pelo blog, Ester. Você escreve com leveza, profundidade e bom-humor. Isso cativa e deixa a leitura mais interessante. "Porque Buda mandou" é um título bem-humorado! rs
Na paz.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...